Quer economizar no uso de dados do seu celular? Veja esse novo app do Google

Quer economizar no uso de dados do seu celular? Veja esse novo app do Google

O Google anunciou a chegava do Google Datally, um novo aplicativo para Android que permite gerenciar, bloquear e controlar o uso dos dados móveis.

Google“Datally é um gerenciador de dados móveis que ajuda você a monitorar, economizar e controlar seu pacote de dados. Ao acompanhar e controlar o uso de dados nos seus apps, você economiza dados e aproveita seu smartphone ao máximo”, descreve a empresa no Google Play.

Além disso, o app também oferece um modo fácil de encontrar redes sem fio (WiFi) que estão ao redor, com cada uma das redes avaliada pelos usuários.

De acordo com o Google, o ​Datally ​traz ​quatro ​recursos ​principais:

  • Economia de dados​: Recurso de Economia de dados permite que os usuários
    gerenciem os dados em cada aplicativo, de modo independente. ​O ​recurso ​Economia ​de ​dados ​ajuda ​a ​economizar ​até ​30% ​de ​dados.
  • Controle de dados​: Com essa funcionalidade ativada, uma bolha aparecerá na tela com o consumo de dados em tempo real, além de oferecer a opção de determinar, facilmente, quanto de dados vai para cada aplicativo, como se fosse um velocímetro ​para ​dados ​móveis.
  • Alertas personalizados​: O Datally alerta os usuários sobre o consumo de dados e permite
    visualizar ​o ​uso ​diariamente, ​semanalmente ​ou ​mensalmente.
  • Encontrar Wi-Fi​: Wi-Fi público pode ser uma boa opção para o acesso em banda larga. O recurso para encontrar Wi-Fi mostra as redes próximas, avaliadas pela comunidade do Datally. Uma vez conectado, os usuários podem classificar as redes Wi-Fi com base ​em ​sua ​própria ​experiência.

Google Datally está disponível, sem qualquer custo, no Google Play. Junto com o Files Go, ambos procuram disponibilizar alguns dos recursos existentes do Android em forma de app.

Google

Fonte: Google Discovery

Unidades de medidas em tecnologia

Unidades de medidas em tecnologia

Quando vamos ao supermercado ou a feira identificamos muitas unidades de medida (tempo que gastamos para ir e voltar, o peso do pacote de cereal ou do legume, a temperatura que devemos manter determinado item no refrigerador, e assim por diante).

Balança

Em se tratando de peso, o que mais utilizamos são os gramas e o quilograma (unidade de medida de massa de um corpo). Vamos utilizar a matemática para facilitar o entendimento:

O termo “Kilo” indica que estamos falando de algo vezes 1000, ou seja, se estamos falando de 1Kg queremos dizer 1000 gramas.

1g * 1000 = 1Kg

12g * 1000 = 12Kg

Unidades de medidas são utilizados em muitas coisas do nosso dia a dia. Em tecnologia não é diferente. Cada letra digitada nesse texto, cada ponto, vírgula, cada foto, tudo que existe no ambiente tecnológico se resume numa menor parte chamada bit (representado pela letra b). Cada 8 bits (8b) forma 1 byte (1B). Byte é a unidade utilizada para determinar tamanhos de arquivos, velocidade de banda de links, capacidade de armazenamento em um disco, etc.

Imaginemos um exemplo: Um documento com 100 páginas com 30 fotos dentro dele. Após salvar esse trabalho e transformar num arquivo, esse terá um tamanho que ultrapassará 1024B (mil bytes). Para entendermos, iremos supor 500 mil bytes. Isso pode ser representado como 500KB.

Obs: Em tecnologia utiliza-se a base 2 (binário). Nós contamos na base 10 e as máquinas na base 2 (0, 1, 10, 11, 100, 101, 110, 111, 1000, 1001, 1010, 1011, 1100, 1101, 1110, 1111 e assim por diante). Para a máquina, o número 1000 é entendido como 1024 (o byte escrito 128 vezes). Mas não vamos complicar. Nos atentemos ao número absoluto 1000 por exemplo. Deixemos os 24 (1024 – 1000) de lado só para entendermos melhor.

Um arquivo maior pode ultrapassar a barreira do “K” e ir para a casa do “M” (Mega). Cada 1000KB é 1MB. Arquivos de fotos, vídeos, facilmente utilizam essa unidade (XXMB – alguns mega bytes).

Um disco rígido de um computador possui o tamanho de Giga (“G”), por exemplo, 500GB, que nada mais é do que 500 mil Mega Bytes. Porém alguns discos de computador podem chegar na casa dos Tera Bytes (TB). Isso significa mil Giga.

Abaixo um resumo disso tudo:

1B (1 Byte)

1024B = 1KB (1 Kilo Byte)

1024KB = 1MB (1 Mega Byte)

1024MB = 1GB (1 Giga Byte)

1024GB = 1TB (1 Tera Byte)

Até hoje, o que mais ouvimos falar são esses explicados. Depois do Tera, existe o Peta, Exa, Zetta, entre outros.

Em alguns anos atrás tratávamos apenas das unidades Giga. Hoje falamos em Tera de forma bastante natural. A tecnologia atual permite armazenamentos que estão na unidade Tera Byte. Daqui a alguns anos trataremos desse assunto falando do Peta, e assim por diante, conforme a evolução tecnológica.

Tirar screenshots no Chrome OS agora é igual ao Android

Tirar screenshots no Chrome OS agora é igual ao Android

Ficou mais fácil fazer screenshots nos Chromebooks com Chrome OS: basta imitar o que você já faz atualmente no Android.

Assim como em telefones Android, basta pressionar o botão de reduzir o volume e o botão de ligar/desligar para tirar um print screen em seu Chromebook.

A novidade ainda está na versão DEV do Chrome OS, porém não deve demorar muito para chegar até a versão estável.

Desta forma, o Google procura alinhar o aprendizado de cada sistema operacional ao torná-los mais próximos e mais fáceis para o utilizador.

Fonte: Google Discovery

Ar condicionado Wind-Free da Samsung permite controlar temperatura pelo smartphone

Ar condicionado Wind-Free da Samsung permite controlar temperatura pelo smartphone

Habilitado para Wi-Fi, modelo pode ser controlado de qualquer lugar por meio do aplicativo Smart Home

Com o avanço da tecnologia, a Samsung, com sua pesquisa avançada, trouxe para a nova categoria de ar condicionado Wind-FreeTM um revolucionário sistema de refrigeração sem vento*, que permite o acesso a tecnologia das coisas (IoT). Não se trata de uma tecnologia complicada ou inalcançável para o consumidor, ela já faz parte do produto e oferece uma experiência única para o dia a dia das famílias. Pensando em facilitar a vida do usuário, a Samsung permite controlar o ar condicionado pelo smartphone, mesmo a quilômetros de distância.

Graças à compatibilidade com a tecnologia Wi-Fi, os usuários do AR9500M Wind-FreeTM podem ajustar remotamente a temperatura e as configurações do produto por meio do aplicativo Smart Home. O app, que é gratuito, permite ainda que o consumidor ligue e desligue o AR9500M Wind-FreeTM à distância. Além de receber atualizações em tempo real sobre o desempenho e o uso diário de energia ou ainda diagnosticar problemas.

Com foco no conforto térmico, o condicionador de ar tem um sistema de refrigeração dividido em duas etapas: primeiro reduz a temperatura no modo “Resfriamento Rápido” e, em seguida, ao se atingir a temperatura desejada, muda automaticamente para “Modo Wind-FreeTM”, criando um ambiente sem corrente de ar. Além disso, o recurso Wind-Free™ também pode reduzir o consumo de energia em até 72%** se comparado ao modo “Resfriamento Rápido” de um modelo convencional.

“Esse é mais um recurso único do ar condicionado Wind-FreeTM da Samsung, que ouviu as necessidades do consumidor e entrega produtos que proporcionam conforto térmico, eficiência energética otimizada, design e alta tecnologia”, afirma Jefferson Porto, Diretor Associado de Produtos da Divisão de Digital Appliance da Samsung Brasil. “A experiência de controlar o ar condicionado pelo smartphone, de qualquer lugar, é um diferencial da tecnologia Samsung”, complementa.

O aplicativo Smart Home é gratuito e está disponível para iOS e Android.

O ar condicionado AR9500M da categoria Wind-Free™ custa a partir de R$ 2.999,00 e está disponível nas principais lojas do varejo e no e-commerce da marca (https://shop.samsung.com/br). Para mais informações, clique aqui.

*A Sociedade de Engenheiros de Refrigeração, Aquecimento e Ar Condicionado Americana (ASHRAE) define o efeito sem-vento devido as correntes de ar insufladas com velocidade inferior a 15m/s.

**Testado no modelo AR07M517KHA, baseado no consumo de energia acumulado no modo Fast Cooling (AR09HCFU) vs Wind Free. Quando comparado a operação normal a redução é de 55%.

Google Lens começa a ser liberado para o Assistant

Google Lens começa a ser liberado para o Assistant

O Google deu início a liberação do Google Lens no Assistant em pelo menos seis países: Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Canadá, Índia e Singapura.

O novo recurso possibilita que o assistente virtual do Google possa reconhecer sobre as coisas ao seu redor e até mesmo agir, enquanto conversa com o Google Assistente.

“Olhando para um marco e não tem certeza do que é? Interessado em aprender mais sobre um filme ao passear pelo cartaz?”, questiona o buscador.

“Com o Google Lens e seu Assistente do Google, você agora tem um ajudante útil para lhe contar mais sobre o que está à sua volta, diretamente no seu Pixel”, ressalta.

Veja as principais funções do Google Lens:

  • Texto: guarde informações de cartões de visita, siga URLs, ligue para números de telefone e navegue até endereços.
  • Marcos: Explore uma nova cidade como um profissional com seu Assistente para ajudá-lo a reconhecer marcos históricos e aprender sobre seu histórico.
  • Arte, livros e filmes: aprenda mais sobre um filme, do trailer para comentários, diretamente do autor. Procure um livro para ver a classificação e uma breve sinopse.
  • Torne-se um guru de museu rapidamente procurando informações de um artista e muito mais. Você pode até adicionar eventos, como a data de lançamento do filme ou a abertura da galeria, para o seu calendário diretamente da Google Lens.
  • Códigos de barras: procure rapidamente produtos por código de barras ou escaneie os códigos QR, tudo com o seu Assistente.

Abaixo, vocẽ pode conferir uma rápida demonstração do Google Lens no Pixel 2:

Google Lens

Google avalia reconhecimento de voz para transcrever visitas médicas

Google avalia reconhecimento de voz para transcrever visitas médicas

Google Brain e a universidade de Stanford se uniram para tentar melhorar os registros entre os médicos e seus pacientes no futuro.

De acordo com a equipe do Google, os médicos “passam mais tempo fazendo documentação do que fazer o que mais amam – cuidando pacientes”.

“Parte do motivo é que os médicos passam cerca de 6 horas em uma jornada de trabalho de 11 horas na documentação do Prontuário Eletrônico do Paciente”, diz a empresa.

“Consequentemente, um estudo descobriu que mais de metade dos médicos pesquisados relatam pelo menos um sintoma de burnout (esgotamento físico)”.

Para ajudar na questão, o Google afirma que é possível aproveitar os modelos de Reconhecimento Automático de Voz (ASR) para transcrição avançada de conversas médicas.

A tecnologia desenvolvida pela gigante de Mountain View ultrapassa as soluções existentes ao conseguir gravar tanto o médico quanto o paciente.

“Usando essa tecnologia, começaremos a trabalhar com médicos e pesquisadores da Universidade de Stanford, que realizaram extensas pesquisas sobre como a transcrição podem melhorar a satisfação do médico, para entender como técnicas de aprendizado profundas, como ASR, podem facilitar o processo de escrita de notas médicas”.

Por enquanto, não existe uma prazo para a tecnologia chegar aos consultórios médicos.

Fonte: Google Discovery