Como compartilhar a internet do seu celular

Como compartilhar a internet do seu celular

Se você tem um celular com plano pré pago ou um tablet sem entrada para chip da operadora, possivelmente deve ter passado pela situação de não ter como acessar a internet. Mas você precisa acessar urgentemente. O que fazer? Algum conhecido por perto? Sim? Então você pode usar a internet do dispositivo dessa pessoa.

Sendo feita uma simples configuração, o celular desse seu conhecido se transforma num roteador de internet, ou seja, será possível sem o uso de fios, usar a internet dele.

 

Internet

 

E como fazer? Abaixo estão os procedimentos para configurar aparelhos Apple e outros que utilizam sistema operacional Android:

IOS/Apple:

  • Vá em “ajustes”;
  • “Acesso pessoal” (para que ele esteja habilitado, o parâmetro “celular”, “dados celulares” deverá estar habilitado);
  • Habilitar a função “acesso pessoal”.

A senha pode ser alterada nessa mesma tela. Para isso, basta clicar no campo “senha Wi-Fi” e alterar.

O nome da rede que vai ser mostrada será o nome do seu dispositivo. Para saber qual é:

  • Vá em “ajustes”;
  • “Geral”;
  • “Sobre”.

O nome é o que está escrito no campo “nome”.

Se durante a habilitação do acesso pessoal vier a pergunta se deseja se conectar via wireless (sem fio) ou via cabo, escolha uma delas conforme a sua vontade/necessidade (acessar sem o uso de fios ou com cabos).

Android:

  • Vá em “ajustes/configurações”;
  • Clique em “vínculo”;
  • “Ponto de Acesso Wi-Fi”;
  • Habilite a função.

Para configurar uma senha e descobrir qual nome irá ser disponibilizado:

  • Clique em “configure o ponto de acesso Wi-Fi”;

O nome que aparecerá aos outros dispositivos irá ser mostrado. Se você desejar alterar, basta selecionar esse campo e digitar o novo nome.

  • O tipo de segurança também irá aparecer. Prefira o WPA2 PSK (é o mais seguro);
  • No campo senha, digite a que você deseja que seja digitada pela pessoa com quem você está compartilhando;
  • Para finalizar, clique em salvar.

Observação: Esse procedimento é para a versão 6.0 do Android.

Para ser utilizado o compartilhamento, o usuário deverá habilitar a rede Wi-Fi, escolher a rede com o nome que você escolheu, digitar a senha e pronto. Havendo um segundo momento de compartilhamento, não será mais necessário digitar a senha pois já foi memorizada pelo dispositivo desse usuário.

Outra função muito importante é com relação a custo: se você tem um celular e um chip no seu tablet que só serve para acesso à internet (pacote de dados), com a função de compartilhamento, você pode ter apenas um chip no celular e precisando no tablet, compartilha.

Um ponto importante é com relação à segurança. Sempre prefira compartilhar o sinal de um conhecido. Nunca utilize de um desconhecido pois esse pode, de alguma forma, ter acesso a sua navegação e com isso conseguir dados sigilosos e te prejudicar. Tenha atenção.

Aprenda como configurar a Internet na sua Smart TV em apenas 15 segundos

Aprenda como configurar a Internet na sua Smart TV em apenas 15 segundos

Samsung Care ensina o consumidor de forma simples e fácil sobre como desfrutar ao máximo sua Smart TV conectando-a na Internet

TV

Uma Smart TV Samsung só liberta seu verdadeiro potencial quando está conectada à internet. Para trazer ainda mais comodidade ao dia a dia do consumidor, o Samsung Care, o programa de assistência técnica inteligente que vai além da assistência convencional oferecendo vídeos tutoriais e dicas para utilizar melhor os produtos da marca, ensina como conectar a TV na web e desfrutar de um mundo de possibilidades.

Hoje em dia, o sinal de internet é tão importante quanto o sinal de antena ou de TV a cabo em uma TV. Seja por cabo ou Wi-Fi, é fundamental fazer a configuração da sua internet ao instalar a TV, para desfrutar dos recursos avançados da Smart TV.

Por isso, o Samsung Care desenvolveu uma série de vídeos tutoriais de até 15 segundos com as principais dúvidas dos consumidores nos canais de atendimento, como este, que explica rapidamente como configurar a Internet na sua Smart TV Samsung.

O modo mais simples de conectar a TV na internet é utilizar um cabo entre o seu roteador e a Smart TV. Ao fazer isso, o televisor já reconhece a rede. Por Wi-Fi, o processo é um pouco diferente.

Quando o usuário liga a TV pela primeira vez, o processo de configuração já guia pelos primeiros passos para configurar a internet sem fio. Basta selecionar a rede desejada, colocar a senha e confirmar.

Se a conexão falhar, verifique a senha. Caso esteja correta, pode ser que o sinal do roteador não tenha potência suficiente. Basta reposicionar o roteador para mais perto da Smart TV.

Se você não configurou a internet na primeira vez que ligou a TV, ou deseja mudar a rede que a TV estiver conectada, basta ir até menu de “Configurações” no canto inferior esquerdo,    selecionar o ícone de “Rede”, apertar o seta para cima no seu controle remoto e escolher “Configurações de Rede” A partir daí o processo é igual a quando o usuário liga a TV pela primeira vez.

Assim que a TV** estiver conectada, você precisa ler os termos e condições do Smart Hub. É por ele que você acessa os aplicativos da sua Smart TV Samsung. Selecione a caixa “I Agree to All” e OK. A partir desse momento, você está conectado. Aí, basta acessar o Smart Hub, escolher seu serviço de streaming favorito* e desfrutar da melhor experiência Smart.

O Samsung Care também traz várias informações, vídeos tutoriais e dicas de uso para todos os eletrodomésticos da marca, além dos smartphones, tablets, wearables e notebooks. Além disso, é possível consultar a rede de assistências técnicas autorizadas, requisitar a assistência domiciliar, remota e por correio* além de suporte telefônico, por e-mail ou remoto.

“A experiência de uso de um produto avançado como as Smart TVs é muito importante”, afirma Andréa Mello, Diretora de Marketing Corporativo e de Consumer Electronics da Samsung Brasil. “A missão do Samsung Care é ajudar os consumidores a obter a melhor experiência e aproveitar ao máximo a nossa tecnologia, de forma descomplicada”, completa.

Para mais informações, acesse o site www.samsungcare.com.br ou para atendimento ao cliente ligue para 4004-0000 (Capitais e grandes centros) e 0800-124-421 (demais cidades e regiões).

*A opção da assistência técnica via correios e que possibilita o envio do aparelho para conserto é permitida apenas para smartphones, tablets e notebooks. No caso de possuir uma Smart TV, a assistência técnica domiciliar está disponível para TVs com mais de 48”. Consulte a disponibilidade para sua região.

**O passo-a-passo pode ter pequenas alterações de acordo com o modelo de TV.

¹os serviços e produtos anunciados podem ser descontinuados sem aviso prévio.

Quatro perguntas para entender a decisão dos EUA de acabar com a neutralidade de rede – e como isso nos afeta

Quatro perguntas para entender a decisão dos EUA de acabar com a neutralidade de rede – e como isso nos afeta

A agência reguladora das telecomunicações dos Estados Unidos votou nesta quinta-feira para flexibilizar as regras que controlam a neutralidade na rede de internet no país.

Internet

É uma discussão, e agora decisão, que vem gerando forte controvérsia – colocando até mesmo grandes empresas de tecnologia em lados opostos.

No Brasil, o debate que antecedeu as discussões sobre o Marco Civil da Internet também foi alvo de intensas disputas. A legislação, aprovada em 2014, acabou por garantir a neutralidade da rede no Brasil.

 O que é a neutralidade da rede?

A neutralidade da rede é um princípio em que um provedor de internet deve fornecer aos consumidores acesso igualitário a todo conteúdo legal, independente da fonte.

Em outras palavras, se as redes que formam as bases da internet fossem uma rodovia, com a neutralidade, não haveria divisão de pistas para carros e outras para caminhões. Motoristas não poderiam pagar para usar a via mais rápida.

Na prática, isto significa que os provedores de internet – os maiores nos Estados Unidos incluem a Comcast, Charter e AT&T – não podem bloquear conteúdo, acelarar ou desacelerar o acesso a dados de sites específicos porque eles pagaram para isso. E eles não podem dar tratamento preferencial ao seu próprio contéudo em detrimento dos concorrentes.

Defensores da neutralidade da rede dizem que a causa representa a garantia da equidade – uma vez que o sistema anterior limitava a censura e garantia que os provedores não boicotariam de forma injusta o conteúdo de competidores.

Por outro lado, opositores da neutralidade apontam que esta é uma interferência indevida no setor, com a regulação trazendo obstáculos aos investimentos e avanços da tecnologia.

O que a decisão da comissão significa?

A última vez que a Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (FCC, na sigla em inglês) havia revisado a regulação para o setor foi em 2015, com apoio da gestão do ex-presidente Barack Obama e após uma extensa campanha protagonizada por grupos de ativistas e companhias de tecnologia.

Estas mudanças colocaram os provedores de internet na mesma categoria de outras empresas de telecomunicações.

Mas o atual presidente dos EUA, Donald Trump, é um crítico das medidas e indicou um oponente da neutralidade da rede, Ajit Pai, para presidir a FCC neste ano.

Pai afirmou temer que provedores de internet não estejam investindo em medidas cruciais para a infraestrutura, como conexões para casas pobres e rurais, porque as regras para neutralidade da rede estariam impedindo a geração de receitas e, logo, novos investimentos.

Com as novas regras aprovadas pela comissão nesta quinta-feira, provedores poderão dar tratamento preferencial para alguns servidores e cobrar mais para que consumidores acessem conteúdos específicos. O temor dos críticos é que serviços como transmissão de filmes e seriados ou jogos online recebam taxação elevada.

Mas estas empresas deverão detalhar publicamente estas práticas. Se elas falharem neste dever, uma outra agência reguladora, a Comissão Federal de Comércio (FTC, na sigla em inglês) – terá o poder de sancioná-las.

Um dos críticos mais conhecidos deste sistema é o comediante britânico John Oliver, o apresentador do programa Last Week Tonight. Em maio, ele pediu que seus espectadores postassem reclamações no site da FCC.

Alguns relatos deram conta de que tantas pessoas fizeram isso que o site da comissão saiu do ar – mas, depois, o órgão afirmou que o incidente teve como causa um ataque de hackers.

De qualquer forma, a pressão não mudou a opinião de Pai e nem impediu que as novas regras fossem aprovadas por três votos a dois.

Além de Oliver, outros defensores notáveis da neutralidade da rede são empresas de tecnologia como Facebook e Alphabet, a empresa matriz do Google.

O que vem por aí?

Os democratas, do partido oponente a Trump, prometeram tentar reverter a decisão.

O advogado-geral de Nova York Eric Schneiderman disse que vai à Justiça para questionar a decisão da FCC.

Ele acusou o regulador de falhar na investigação sobre possíveis fraudes na consulta pública sobre o tema. Segundo ele, 2 milhões de identidades, algumas de pessoas já mortas, foram usadas na consulta no site da FCC.

Outros apoiadores da neutralidade da rede disseram planejar abrir ações judiciais da sua parte.

O governador de Washington indicou que o estado vai tomar seus próprios passos para proteger a neutralidade da rede.

Mas Pai propôs que os estados sejam impedidos de legislar sobre o assunto localmente.

Um dos maiores provedores dos EUA, a Comcast, sugeriu que não haverá uma mudança tão grande quanto a temida por alguns.

“Apesar das repetidas distorções e informações tendenciosas, bem como ataques equivocados e imprecisos de detratores, nosso serviço de internet não vai mudar”, afirmou em um comunicado.

Como é a situação do Brasil?

O Marco Civil da Internet, aprovado pelo Congresso e sancionado pela ex-presidente Dilma Rousseff em 2014, também garante a neutralidade da rede.

A lei, resultado de sete anos de tramitação de um projeto no legislativo, destina uma seção apenas ao tema – um dos principais alvos de disputa política durante a discussão.

“O responsável pela transmissão, comutação ou roteamento tem o dever de tratar de forma isonômica quaisquer pacotes de dados, sem distinção por conteúdo, origem e destino, serviço, terminal ou aplicação”, diz um dos artigos do marco.

O decreto que regulamenta a lei, publicado em 2016, prevê algumas exceções à neutralidade, sobretudo situações de emergência – como a necessidade do governo de alertar a população sobre uma eventual ameaça natural.

 Fonte: BBC
Mozilla lança nova versão do Firefox para tentar desbancar Google Chrome

Mozilla lança nova versão do Firefox para tentar desbancar Google Chrome

A Mozilla lançou o Firefox Quantum, a versão mais rápida já feita do navegador da empresa e que representa a maior atualização do programa desde seu lançamento, em 2004, para desbancar seu principal competidor no mercado, o Google Chrome.

“É rápido. Muito rápido. O Firefox Quantum é duas vezes mais rápido que o Firefox há 6 meses, utiliza um motor central completamente revisado com nova tecnologia “roubada” do nosso grupo de pesquisa avançada e adornado com uma imagem renovada”, afirmou a Mozilla em comunicado divulgado.

Em um vídeo especial de lançamento, a companhia compara a velocidade de carregamento do Firefox Quantum com a do Chrome em alguns dos sites mais populares, desde o Instagram e até o motor de busca da concorrente, para mostrar como seu novo navegador bate o rival na maioria das páginas que não são de propriedade do Google.

“Damos um salto qualitativo quanto à velocidade, à estabilidade e o atrativo visual, começando por uma nova interface de usuário chamada Photon, cujo objetivo é modernizar e unificar o serviço em diferentes dispositivos e telas”, explicou a empresa.

A Mozilla explicou que o rendimento do Quantum é melhor do que o dos concorrentes porque seu motor foca na janela na qual o usuário está navegando, que passa a ter prioridade em relação às demais, o que gera um uso otimizado dos recursos do sistema.

A última versão do navegador é resultado das pesquisas desenvolvidas pelo Project Quantum, uma divisão da Mozilla orientada a construir o motor da próxima geração de usuários do Firefox.

“É de longe a maior atualização que fizemos desde quando lançamos o Firefox em2004. É simplesmente o melhor de todas as maneiras possíveis”, destacou a empresa em comunicado.

Fonte: Agência EFE

Internet fixa cresce 0,4% no Brasil em setembro ante agosto

Internet fixa cresce 0,4% no Brasil em setembro ante agosto

A base de Internet fixa do Brasil cresceu 0,4 por cento em setembro ante agosto, com o acréscimo de 113.243 novos clientes, informou a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Nos últimos 12 meses, o avanço do segmento soma 5,92 por cento no país, com crescimento em todos os Estados e, em especial, no Rio Grande do Sul, onde o aumento foi de mais de 20 por cento no período.

Entre as principais operadoras, a líder do mercado Claro, da mexicana America Movil, liderou o crescimento em setembro ante agosto, com a adesão de 51.909 clientes, ou mais 0,6 por cento. A Vivo, por sua vez, perdeu 1.085 usuários, queda de 0,01 por cento, enquanto a TIM atraiu 6.839 usuários, com crescimento de 1,76 por cento.

A Oi, que está em recuperação judicial, também viu sua base encolher, com a perda de 12.188 clientes em setembro ante agosto, ou 0,19 por cento do total, segundo dados da Anatel.

Em comparação com o ano passado, a Claro apresentou aumento de 366.971 clientes (+4,37 por cento) na sua base de assinantes. A operadora Vivo registrou 122.366 novos clientes (+1,63 por cento) e a TIM mais 78.109 usuários (+24,63 por cento). Já a Oi perdeu 26.487 clientes, ou 0,41 por cento da sua base de clientes.

Fonte: Reuters