WhatsApp muda para usuários de iPhone e deixa o app mais seguro

WhatsApp muda para usuários de iPhone e deixa o app mais seguro

 

Mudança, que era muito esperada, deixa o aplicativo mais seguro

 

Nessa semana o WhatsApp sofreu uma atualização que deixou contentes muitos usuários. Além de ter sido algo relacionado a segurança ( o que sempre é muito bom), também aumenta a privacidade dos milhões de usuários do mensageiro.

 

Whatsapp

 

Agora, para usuários de iPhone – sistema iOS – é possível configurar o touch iD (para aparelhos de modelos superiores ao iPhone 5S) que nada mais é do que o identificador de impressão digital.

Veja abaixo como habilitar a nova função:

1.Whatsapp

2.Whatsapp

3. Whatsapp

4.Whatsapp

5.Whatsapp

Uma vez sendo feito esse procedimento, o app passa a solicitar “senha” no próximo acesso. Se não for apresentada a impressão digital, virá a tela abaixo:

Whatsapp

 

E o que você achou dessa atualização? Deixe o seu comentário.

 

 

ESET alerta sobre links falsos que prometem brindes da Tilibra circulando pelo WhatsApp

ESET alerta sobre links falsos que prometem brindes da Tilibra circulando pelo WhatsApp

A ESET, empresa líder na detecção proativa de ameaças, alerta sobre o surgimento de um golpe que engana os usuários por meio de engenharia social, método que induz o usuário a clicar em um link que pode ser malicioso. Os criminosos utilizaram o nome da empresa Tilibra, se passando por uma promoção que daria agendas personalizadas da Capricho a quem clicasse no link, distribuído pelo WhatsApp.

Neste caso, o golpe se passava por uma promoção verdadeira que está sendo realizada pela loja virtual da Capricho, no contexto de volta às aulas. Como outras campanhas descobertas pelo Laboratório de Pesquisa da ESET na América Latina, as vítimas acessaram o golpe por uma mensagem encaminhada via WhatsApp.

 

alerta

 

Na maioria dos casos, o remetente será um contato conhecido, que está inconscientemente espalhando o golpe após também ter sido vítima. Ao clicar no link, o usuário é redirecionado para um site, que se passa pelo verdadeiro.

Ao acessar esse endereço, a vítima encontra uma pesquisa e, uma vez concluída, aparece uma mensagem que a incentiva a compartilhar o golpe com cinco pessoas para ganhar a agenda,  gerando a viralização.

“Qualquer usuário pode cair nesse tipo de armadilha se a isca certa for usada. Por esse motivo, é essencial estar sempre atento às notícias sobre o tema e ter informações sobre como evitar esse tipo de golpe. Somente assim o usuário terá dúvidas em relação à veracidade de tais fraudes. Neste sentido, seja em computadores ou dispositivos móveis, as soluções de segurança terão um papel fundamental, uma vez que, por meio de seus módulos de detecção, gerarão alertas de segurança nos casos em que o usuário não tenha reparado na direção do link para o qual seria direcionado”, explica Camilo Gutierrez, chefe do Laboratório da ESET América Latina.

O número de golpes que se espalham por meio do WhatsApp continua crescendo. A ESET já alertou sobre inúmeras campanhas que afetam diferentes marcas conhecidas: de companhias aéreas a restaurantes de fast food, seus nomes foram utilizados em fraudes em grande escala, com vítimas em diferentes países e iscas em diversos idiomas.

Para mais informações relacionadas, visite o We Live Security, o portal de notícias de segurança da informação da ESET: https://www.welivesecurity.com/br/

Fonte: Assessoria de imprensa

 

Veja o que o Whatsapp fez nessa última atualização

Veja o que o Whatsapp fez nessa última atualização

E a festa acabou…

No meio do ano de 2018 o Whatsapp limitou o compartilhamento de mensagens escritas, fotos ou vídeos, em todo o mundo, para até 20 contatos. Nesse mesmo período, na Índia – onde a restrição precisou ser ainda maior, passou a ser possível fazer somente a 5 contatos. Essa medida mirava a redução de “fake news” – mensagens falsas que no ano passado ficou tão em moda.

Nas eleições dos EUA (2016) e na do Brasil (2018) as “fake news” tomaram conta do noticiário por vários dias. Isso é um assunto bastante grave e que precisa ser encarada com muita seriedade pelos governantes de todos os países.

 

whatsapp

Fake news – mensagens falsas

 

Hoje, 21/02, o Whatsapp reduziu a quantidade de compartilhamento para 5 no mundo todo (não somente na Índia). A ideia do mensageiro é continuar diminuindo a distribuição em massa de mensagens falsas.

Como sempre acontece, essa atualização irá acontecer aos poucos, de forma gradativa. O que sabemos é que os usuários do sistema Android passarão a “sofrer”com a limitação primeiro que os usuários de iPhones.

Esperamos que essa medida traga realmente resultados positivos a todos nós usuários.

 

Por que suas mensagens no WhatsApp poderão ser apagadas para sempre na 2ª feira

Por que suas mensagens no WhatsApp poderão ser apagadas para sempre na 2ª feira

BBC

Você usa WhatsApp e tem o sistema operacional Android no seu celular? Então, é melhor fazer uma cópia de segurança das suas mensagens o quanto antes.

O Android é o sistema operacional da maior parte dos celulares Samsung, por exemplo.

A partir do dia 12 de novembro, todas as mensagens de WhatsApp que não estejam guardadas serão apagadas para quem não usa o sistema operacional da Apple, o iOS.

O anúncio se deve a um acordo feito entre o WhatsApp (que pertence ao Facebook) e o Google para permitir que todas as conversas, fotos e vídeos enviados pelo aplicativo possam ser armazenados no Google Drive, o serviço de hospedagem de arquivos do buscador, sem consumir espaço da conta do usuário.

A má notícia é que, se você não fez uma cópia de segurança das mensagens nos últimos 12 meses, o WhatsApp apagará todas as suas mensagens antigas, assim como todos os vídeos e fotos. Em muitos celulares, as mensagens são armazenadas de forma automática, periodicamente.

Em um comunicado na página do WhatsApp na internet, a empresa explicou que “para evitar a perda destes dados, recomendamos que se faça uma cópia de segurança dos seus dados no WhatsApp antes do dia 12 de novembro de 2018”.

A mudança só afetará usuários de Android, pois o WhatsApp já tem acordo com a Apple para que os usuários de iPhone possam guardar seus dados na nuvem iCloud.

 

mensagens

As fotos e vídeos também podem ser perdidos, se não forem guardados

 

“Você pode guardar suas mensagens e arquivos multimídia no Google Drive e, caso mude para outro telefone Android, poderá recuperar os arquivos”, disse o WhatsApp a respeito do acordo com o Google.

A empresa recomenda, ainda, que se conecte o telefone a uma rede Wi-Fi antes de fazer a cópia de segurança no Google Drive, uma vez que “o arquivo pode variar de tamanho e consumir uma grande quantidade de dados móveis, gerando cobranças por parte da operadora de telefonia”.

Rayita

Como criar uma cópia de segurança do Google Drive

 

  1. Abra o WhatsApp
  2. Clique em “Menu” (os três pontinhos acima das conversas); depois em “Configurações”; depois em “Conversas”; e depois em “Backup de conversas”.
  3. Clique em “Fazer Backup”. Note que, logo abaixo, há uma série de opções a serem configuradas pelo usuário. Você pode decidir a periodicidade destes backups, e se quer incluir vídeos.
  4. Na maioria dos casos, a sua conta do Google já aparecerá no campo “conta”. Se você não tiver conta, ou se esta não aparecer, clique em “adicionar conta”.

Fonte: WhatsApp

Rayita

 

mensagens

Dados armazenados nos celulares são parte cada vez mais importante de nossas vidas

 

Sem encriptação

 

Poder guardar seus dados sem usar espaço do telefone é uma boa notícia, mas alguns analistas criticaram a solução oferecida pelo WhatsApp.

É que, enquanto as conversas do WhatsApp são protegidas por um sistema de criptografia de ponta a ponta, as cópias de segurança do Google Drive não são.

Isso não significa que a informação se tornará pública, mas a falta da criptografia ponta a ponta torna as mensagens guardadas na nuvem mais suscetíveis de serem roubadas por pessoas e softwares mal-intencionados.

 

mensagens

O Android, representado pelo robôzinho verde, é o sistema operacional desenvolvido do Google

 

A solução proposta pelo WhatsApp é redobrar os cuidados com sua senha do Google Drive.

É preciso considerar, porém, que desde 2015, ano em que surgiu a possibilidade de fazer backups de mensagens do WhatsApp no Google Drive, não houve nenhum incidente de roubo de mensagens, segundo a empresa.

 

 

É verdade ou não?  Kaspersky Lab bloqueia fake news disseminada no WhatsApp

É verdade ou não? Kaspersky Lab bloqueia fake news disseminada no WhatsApp

 

Ultimamente estão sendo disseminadas inúmeras notícias de fontes duvidosas via apps de mensagens instantâneas ou redes sociais. Há 4 anos, essas notícias falsas eram chamadas de boatos, mas elas já são mais conhecidas atualmente como fake news e, na maioria das vezes, os remetentes não conseguem distinguir o que é verdade e o que é falso. Para se ter uma ideia, essas notícias se espalham 70% mais rápido que as verdadeiras em redes sociais como o Twitter, por exemplo, e, alcançam até 100 vezes mais pessoas, é o que aponta o maior estudo já realizado sobre a disseminação de notícias falsas na internet, realizado por cientistas do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), dos Estados Unidos.

 

E quando a notícia falsa é ligada à política, a disseminação ocorre três vezes mais rápida. No mês passado, a Kaspersky Lab já havia alertado sobre uma campanha maliciosa utilizando a corrida eleitoral para roubar dados pessoais. “Em janeiro deste ano, identificamos também um caso em uma rede social que prometia um suposto vídeo da prisão do ex-presidente Luís Inácio Lula da SilvaEsse foi mais um golpe que utiliza a curiosidade do usuário para disseminar códigos maliciosos”, alerta Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab.

Infelizmente, as técnicas de engenharia social estão sendo utilizadas também para propagar as fake news. Por exemplo, há mais de um ano está circulando uma notícia falsa sobre uma nova dipirona importada da Venezuela que conteria um vírus com alta taxa de mortalidade chamado Marburg. “O mecanismo é sempre o mesmo: eventos de grande interesse e informações de difícil acesso levanta um certo tempo para serem checadas, permitindo com que o boato se espalhe rapidamente”explica Assolini.

 

fake news

 

Na semana passada, os pesquisadores de segurança da Kaspersky Lab identificaram campanhas no WhatsApp utilizando os institutos de pesquisa com supostos resultados de intensão de voto para o 2º turno. O que mais chamou a atenção deles foi a ausência de mecanismos de monetização. Em vez disso, o golpe leva os usuários para uma página que dissemina fake news, chamado “maislidashoje.com”.

 

fake news

 

Para chegar no site de notícias falsa, o usuário precisa clicar no link da mensagem e responder a enquete sobre qual candidato irá votar – a suposta pesquisa pede ainda a cidade e estado do respondente. Ao concluir esta etapa, o usuário tem que compartilhar a fake news com 10 contatos para, supostamente, confirmar que ele não é um robô. Em seguida, ele é direcionado para o site de notícias com o resultado da pesquisa.

“É muito importante saber que os institutos não fazem pesquisas eleitorais pela internet”, analisa Assolini. “Além disso, foi curioso verificar a ausência de anúncios na página principal. Isto indica que o criminoso por trás da campanha está sendo pago por alguém. Outro fato curioso é que o site apresenta notícias falsas que beneficiam ambos os candidatos, o que impede uma conclusão sobre quem é o mandante da campanha. O que podemos concluir é que o golpista (ou grupo) por trás das mensagens é o mesmo, pois todos sites falsos estão hospedados no mesmo servidor – que também contém golpes maliciosos. Tanto as mensagens de fake news quanto os phishings que coletamos nas últimas semanas são bloqueados pelas soluções da Kaspersky Lab.”

 

Mas nem tudo está perdido

 

Segundo a GlobeScan, consultoria de pesquisa de opinião pública, 79% dos usuários da Internet em todo o mundo estão preocupados com a precisão das informações na Internet – o que também reforça a preocupação de empresas para auxiliar nesse combate. “Alguns órgãos públicos e marcas, principalmente as que são utilizadas como ferramentas de disseminação, têm tomado algumas providências para alertarem os usuários das notícias falsas, seja ensinando a identificá-las ou simplesmente averiguando a procedência da fonte”, diz Assolini. Além disso, existem projetos como o Comprova, que reúne jornalistas de 24 diferentes veículos de comunicação brasileiros para descobrir e investigar informações enganosas, inventadas e deliberadamente falsas durante a campanha presidencial de 2018.

Neste contexto, a Kaspersky Lab quer continuar ajudando usuários a se proteger de conteúdos falsos na web e impedir sua viralização. Para isso, os especialistas da empresa listaram quatro dicas para que os usuários continuem seguros durante sua navegação:

– Sempre verifique a fonte da informação, seja ela uma promoção imperdível ou uma notícia sensacionalista. No caso das fake news, a maioria dos sites falsos são “.com”, ou seja, tem o domínio registrado fora do País. Para ter certeza que a notícia é verdadeira, veja se outros veículos confiáveis publicaram sobre a a mesma notícia;

– Desconfie de anúncios e posts patrocinados em redes sociais que pareçam muito sensacionalistas. Na dúvida, não abra ele. Caso você tenha clicado no anúncio, nunca revele informações pessoais ou confidenciais;

– Certifique-se de que seu computador e dispositivos móveis estejam atualizados com todas as atualizações de software (navegadores, plug-ins, patches de segurança);

– Utilize uma solução de segurança, como o Kaspersky Security Cloud, que protege PC, Mac, iPhone, iPad e Android contra infecções e ataques, anúncios maliciosos e avisa sobre sites perigosos.

Para se manter informado sobre campanhas que usam notícias falsas para espalhar códigos maliciosos, acesse https://securelist.com/.

 

 

Como saber se seu WhatsApp está sendo rastreado

Como saber se seu WhatsApp está sendo rastreado

Facebook

Descubra se estão espionando as suas conversas do WhatsApp

 

O WhatsApp é o aplicativo de mensagens mais utilizado no Brasil e no mundo. Por meio dele, é possível compartilhar qualquer tipo de conteúdo, desde mensagens de texto a vídeos e GIFs. Muitos usuários confiam tanto no app, que não se importam de enviar fotos íntimas e dados sigilosos, como os de banco, logins e senhas, por exemplo.

Mas será que o mensageiro é de fato seguro? Será que existe alguma forma de saber se seu WhatApp está sendo rastreado e suas conversas estão sendo monitoradas por alguém?

A resposta para as duas perguntas é sim!

O WhatsApp oferece diferentes funções que visam garantir a segurança dos seus usuários quando o assunto é acesso e monitoramento do app.

 

Limpeza de WhatsApp: veja como deixar seu aplicativo mais rápido com um toque

Momo do WhatsApp: perfil misterioso aterroriza a internet

 

Por exemplo: se um usuário optar por usar o WhatsApp em um celular sem chip, ele necessariamente vai precisar informar um número de telefone existente e ativo. Ao informar esse número, a central de segurança do app envia um SMS com um código para validar o acesso.
Logo, se você receber um SMS como este, é sinal que alguma outra pessoa está tentando rastrear suas conversas por meio de outro aparelho de celular.

 

Confira outras formas de saber se seu WhatsApp está sendo rastreado:

 

WhatsApp Web

 

É possível acessar o app via navegadores de desktop usando a função WhatsApp Web. Dessa forma, se alguém pegar seu celular sem a sua permissão, conectá-lo a um computador e devolvê-lo a você, ele conseguirá visualizar suas mensagens instantaneamente mesmo sem o aparelho por perto.

Para descobrir se alguém está monitorando suas conversas por meio dessa função, abra o aplicativo, vá até as Configurações/Ajustes e selecione WhatsApp Web.

Se estiverem usando o seu WhatsApp, aparecerá o nome do dispositivo no qual ele está conectado. Para desconectar, basta selecionar Sair de Todos os Computadores.

Porém, se sua câmera abrir imediatamente para efetuar a leitura de QR Code, fique tranquilo porque ninguém está te espionando.

 

Histórico de mensagens e download de mídias

 

Verifique nas suas conversas atuais se existem mensagens que foram supostamente enviadas por você ou se há algum áudio que você não ouviu mas aparece como se estivesse ouvido.

E se a função Download automático de mídia estiver desativada no seu aplicativo, verifique também se existem fotos e vídeos que não foram baixados por você.

É muito comum que esses tipos de movimentações suspeitas ocorram quando um malware se instala no seu celular para monitorar o que você faz no aparelho ou quando sua linha telefônica é clonada, dando acesso ao seu WhatsApp por meio de outros dispositivos.

 

Tenho certeza que meu WhatsApp está sendo rastreado. E agora?

 

De acordo com o Emilio Simoni, Diretor do dfndr lab – laboratório especializado em segurança digital-, uma vez identificado que seu WhatsApp está sendo rastreado, é preciso tomar algumas medidas de segurança importantes.

Se você estiver sendo espionado por meio do WhatsApp Web, que obrigatoriamente solicita que o usuário abra o aplicativo para validar o acesso, provavelmente alguém está mexendo diretamente no seu celular sem a sua permissão. Para que isso não volte a acontecer, uma boa opção é colocar uma senha extra no aplicativo. “Invista em um aplicativo de segurança que também conte com funções de privacidade. O dfndr security, por exemplo, é grátis e disponibiliza o Cofre que permite criar senha extra para qualquer app do seu celular, incluindo o WhatsApp”, explica Simoni.

Se você for notificado via SMS ao tentarem acessar suas conversas por meio de um outro celular, o ideal é ativar todas as outras funções de segurança disponibilizadas pelo próprio WhatsApp.
Abra o aplicativo, vá até as Configurações/Ajustes e selecione Conta.
Na opção Segurança, ative a Exibir Notificações de Segurança. Volte para a tela anterior e ative também a Verificação em Duas Etapas.

Em casos de suspeitas de malwares, é imprescindível fazer uma verificação de segurança no seu celular. Além de interferir no WhatsApp, eles podem trazer riscos para os seus dados e outros aplicativos.
O aplicativo dfndr security também é capaz de identificar, bloquear e remover malwares, vírus e phishings.

Já para a suspeita de clonagem de linha telefônica, a recomendação é entrar em contato com a sua operadora de celular e solicitar um número novo.