Com a estreia da última temporada no domingo (14), Game of Thrones chamou a atenção não apenas dos fãs, mas também dos cibercriminosos. A série, que ganhou vários prêmios Emmy e está entre os maiores sucessos da HBO, foi responsável por 17% de todo o conteúdo malicioso pirateado em 2018, com 20.934 pessoas atacadas, de acordo com dados levantados pela Kaspersky Lab. Isso ocorreu mesmo considerando que, ano passado, não foi lançado nenhum episódio novo de Game of Thrones, enquanto as outras séries do ranking, como The Walking Dead (2º lugar) e Arrow (3º lugar), tiveram campanhas promocionais agressivas.

 

Threats

 

Ao observar a facilidade com que as séries de TV baixadas de fontes ilegítimas podem ser substituídas por versões com malware, os pesquisadores da Kaspersky Lab examinaram esses arquivos maliciosos no período entre 2017 e 2018. Em todos os casos observados, os criminosos usam os primeiros e os últimos episódios de cada temporada como meio de disseminação do malware. No caso de Game of Thrones, o episódio de estreia da primeira temporada, chamado ‘O inverno está chegando’, foi o mais usado para espalhar os ataques.

Com a última temporada de Game of Thrones anunciada para começar no domingo 14, as operadoras de televisão estarão com o sinal aberto, beneficiando não apenas os fãs, mas também mitigando os riscos de uma infeção de malware. Porém, quem perder o episódio e não for assinante do canal pago, provavelmente recorrerá ao torrent, resultando em um possível pico de malware disfarçado para este e os próximos episódios da série”, afirma Thiago Marques, analista de segurança da Kaspersky Lab.A melhor forma de evitar ser vítima dessa ciberameaça é acessar o conteúdo pela sua plataforma oficial, pois os cibercriminosos estão esperando que os fãs mais fiéis e impacientes façam o download acreditando que é apenas o episódio da série, quando na verdade, trata-se de malware disfarçado”, finaliza.

Para evitar ser vítima de programas maliciosos disfarçados de séries de TV, a Kaspersky Lab recomenda algumas medidas:

  • Só use serviços legítimos de reputação comprovada para produzir e distribuir conteúdo televisivo;
  • Preste atenção à extensão do arquivo baixado. Mesmo os episódios de séries de TV de uma fonte que você considera confiável e legítima, devem ter a extensão .avi, .mkv ou mp4, mas com certeza não pode ser um .exe (arquivo executável);
  • Preste mais atenção à autenticidade dos sites. Só acesse sites que permitam assistir séries de TV quando tiver certeza de que são legítimos e seu endereço começa com ‘https’. Antes de iniciar o download, verifique se o site é genuíno, conferindo o formato do URL e a ortografia do nome da empresa;
  • Não clique em links suspeitos, como aqueles que prometem a visualização antecipada de um novo episódio. Verifique e acompanhe a programação da série.
  • Use soluções de segurança confiáveis, como o Kaspersky Security Cloud, para ter uma proteção abrangente contra diversas ameaças.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa

 

Share This